Carol Ribeiro fala sobre o Oscar e a disputa de produções independentes

Neste domingo (25), acontece a premiação mais importante do cinema, o Oscar. Seguindo os protocolos de distanciamento e isolamento social, a Academia adotou medidas seguras para premiar os maiores nomes da sétima arte. Por aqui, a TNT transmite na íntegra o red carpet e comenta categoria por categoria, este ano o canal traz como apresentadores a veterana Carol Ribeiro e o experiente Tiago Abravanel.

Em uma época onde as produções favoritas estrearam no streaming e no on demand, algumas apostas começaram a ganhar formas e despontam os favoritos. Conversamos com a Carol sobre suas apostas, cinema nacional e muito mais, confira a entrevista:

Leia Também: “Meu Pai” filme com Anthony Hopkins recebe 6 indicações ao Oscar 2021

Soda Pop: Em mais de um ano de pandemia, a indústria cinematográfica foi uma das mais atingidas com o fechamento dos cinemas. Grandes produções não puderam ser lançadas nos cinemas e apenas nos streamings. Como analisa os concorrentes deste ano atípico?
Carol Ribeiro: Sinto falta das telonas, mas vejo que nos adaptamos e estamos presenciando um “boom” nas produções de streaming. Produções grandes com ares “hollywoodianos” e outras não tanto, mas boas o suficiente para estarem na disputa, e que talvez, não teriam tido chance não fosse essa situação. Posto isso na balança, vejo um Oscar mais democrático (e isso vai se intensificar daqui pra frente), e tanto a indústria quanto o público saem ganhando com essa abertura.

SP: Um fato importante do advento da pandemia, foi a participação de mais produções independentes. Quais são os filmes e documentários promissores para se revelar neste ano?
CR: “O Som do Silêncio” é um filme que talvez não estivesse na disputa sem as plataformas de streaming, mas ele se torna único por sua abordagem simples, roteiro bem escrito e atuação  vibrante de Riz Ahmed.

“Nomadland” que apesar de tratar de um assunto social delicado, que a sociedade americana finge não existir, a diretora Chloe Zhao, com toda delicadeza, consegue fazer com que a gente se sinta ali, junto com a personagem de Frances, experimentando os sentimentos da personagem, e sem julgar. Temos “Crip Camp”, ” Time”, todos nos apresentam histórias relevantes e atuais q nos fazem  refletir.

Leia Também: Sandy revela o conceito por trás do EP “10:39”

SP: Depois da vitória de “Parasita” como melhor filme de 2020, o que podemos esperar das produções estrangeiras?
CR: Vejo a vitória de “Parasita” como um marco na academia. Acho que podemos esperar mais e mais filmes estrangeiros na disputa, e isso mostra uma vontade do público e o quão abertos estamos para absorver conteúdos – que no final, se encontram – de culturas diferentes.

SP: “Bacurau” apareceu em diversas especulações de sites especializados como um forte concorrente ao Oscar, entretanto não foi indicado à nada, o que poder ter afetado em sua campanha para Academia?
CR: Acho que a dificuldade de fazer campanha, devido a atual situação, pode ter sido uma barreira.

Leia Também: Amy Adams estrela “A Mulher na Janela”, novo filme da Netflix

SP: Quais filmes, atores ou diretores deveriam ter sido indicados ao prêmio neste ano?
CR: Sinto falta de “Destacamento Blood”, e uma indicacação de melhor ator para Delroy Lindo. Ator coadjuvante sinto falta dos pequenos Alan S Kim (Minari) e Helena Zengel (relatos do mundo), mas as categorias estão bem disputadas.

Jodie Foster por “the Mauritanian”, que também merecia uma indicação e Regina King como diretora por “Uma Noite em Miami”. A lista é grande. 

SP: Este ano o protagonismo feminino marcou presença na Academia, como veem este momento histórico para o cinema?
CR: Um momento de alegria, mas um reconhecimento tardio, aquele “já vem tarde, mas antes tarde do que nunca”. E um carimbo de que daqui pra frente podemos esperar mais abertura, mais diversidade. Não há como andar pra trás.

Deixe seu comentário!

Andy Santana

CEO do Soda Pop, fotógrafo, inquieto, formado em moda e que ama música. Não exatamente nesta mesma ordem!

Andy Santana has 7409 posts and counting. See all posts by Andy Santana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: