#Crítica: A Profissão da Sra. Warren

A Profissão da Sra. Warren, do irlandês Bernard Shaw, considerado um dos maiores dramaturgos de língua inglesa ganhou uma nova encenação que está em cartaz no Auditório MASP, em São Paulo. Vivie Warren(Karen Coelho), é uma jovem, forte, decidida e atraente, que mora sozinha em uma casa de campo em Surrey, longe de sua mãe que não vê faz muito tempo, já que ela vive ausente trabalhando para dar o melhor em educação para a filha.

A Profissão da Sra. Warren (Foto: Ronaldo Gutierrez)

 Nesta casa, a jovem recebe a visita tanto dos amigos de sua mãe, como o arquiteto Praed (Mário Borges) que acredita na beleza das artes; o barão milionário e sem escrúpulos Sir. George Crofts (Sergio Mastropasqua); o reverendo Samuel Gardner (Cláudio Curi) que guarda segredos sórdidos quanto o seu filho o jovem aproveitador Frank Gardner (Caetano O’Maihlan) que está de namoro com Vivie, e inclusive a visita inesperada de sua mãe, a Sra. Warren (Clara Carvalho), que traz consigo um segredo que une todos nesta trama.

A encenação levanta a discussão sobre a moral e o falso moralismo, enquanto a Sra. Warren esconde da filha de onde vem todos os seus recursos que financiam sua boa vida educacional, ela tenta fazer arranjos para manter o bom padrão da filha quando se casar, mesmo que isso custe a felicidade da jovem. “A Profissão da Sra. Warren” traz discussões que até hoje são debatidas, como o exemplo do reverendo que esconde seu passado cheio de pecados (e o presente também) e hoje tenta vender a imagem de um servo de Deus, muito parecido com o que vemos hoje diante de nossos olhos, a ideia de submissão para manter o status diante da sociedade bem como os acordos forjados sempre visando um ganho futuro.

A peça faz associações com a época em questão (peça foi escrita entre 1893 e 1894), como no caso do entusiasta Praed querer tanto levar a Vivie para conhecer e apreciar a arte, pois naquela época o teatro e as artes eram associadas à prostituição e a vulgarização da mulher, mas Praed vê a beleza da arte e quer apontar isso como uma outra forma da Vivie encarar a profissão de sua mãe. O ponto negativo e que torna a trama sonolenta é o diálogo arrastado, que demora em alguns acontecimentos, tornando um pouco cansativo.

Serviço:
A Profissão da Sra. Warren, de Bernard Shaw
Auditório MASP – Avenida Paulista, 1578 – Bela Vista
Temporada: 11 de maio a 1º de julho
Às sextas e sábados, às 21h; e aos domingos, às 20h.
Ingressos: Sextas feiras – R$ 30 (inteira) e R$15 (meia-entrada)
Sábados e domingos – R$50 (inteira) e R$25 (meia-entrada)
Telefone: (11) 3141-5959
Classificação: 12 anos
Duração: 100 minutos
Gênero: Comédia Dramática
Capacidade: 376 lugares

Deixe seu comentário!

Andy Santana

CEO do Soda Pop, fotógrafo, inquieto, formado em moda e que ama música. Não exatamente nesta mesma ordem!

Andy Santana has 1670 posts and counting. See all posts by Andy Santana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: