#Polêmica: Bruno Gagliasso perde patrocínios após cometários preconceituosos antigos

Depois de Júlio Cocielo ser acusado de racismo por um post em seu Twitter, esta semana Bruno Gagliasso esteve na mira dos caçadores de plantão, prints antigos provaram comentários preconceituosos cometidos pelo ator no passado (mais especificamente em 2009) e alguns patrocinadores já encerraram seus contratos com o rapaz.

Os comentários feitos no Twitter em 2009 tinha como alvo a comunidade LGBTQ que hoje em dia ele diz tanto apoiar, depois disso a Prefeitura do Rio de Janeiro comunicou que bruno não participará mais da campanha contra a LGBTfobia. Um comunicado foi enviado à imprensa em nome da Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual, dizendo que o ator participou apenas da campanha produzida na gestão anterior, durante o Rio Sem Preconceito, de 2015.

Bruno Gagliasso (Reprodução / Divulgação)

A Coordenadoria Especial da Diversidade Sexual ( CEDS Rio), vem a público esclarecer que à campanha contra LGBTfobia que circula na internet, na qual o garoto-propaganda é a ator Bruno Gagliasso, foi produzida pela gestão anterior. O ator está sendo acusado de homofobia e lesbofobia  por mensagens postadas no Twitter. A campanha fez parte do show Rio Sem Preconceito, no ano de 2015, em que foram gastos quase 2 milhões de reais para promover a festa. A atual gestão da CEDS Rio descontinuou o show Rio Sem Preconceito para priorizar os trabalhos sociais de apoio aos vulneráveis e, aposta, em militantes e ativistas para trazer visibilidade para a causa LGBTI“, dizia o comunicado, que ainda tinha o parecer do coordenador Municipal de Diversidade Sexual do Rio de Janeiro, Nélio Georgini.

Não me colocarei como juiz do ato do ator. Parece ser um cara do bem que errou e, muito menos, da gestão passada, mas só quero lembrar a população carioca que este evento de premiação Rio sem Preconceito custou quase 2 milhões de reais aos cofres públicos. Quanto ao resto, há pessoas mais competentes, como: ativistas e militantes“, disse Nélio Georgini.

(Reprodução)

O Banco Itaú foi outra empresa que retirou patrocínio do youtuber Júlio Cocielo e depois de tanta pressão nas redes sociais tomou uma posição sobre o Gagliasso: “O ator citado não faz mais parte das nossas campanhas que estão no ar. Reforçamos que o Itaú repudia toda e qualquer foram de discriminação e preconecito. Esperamos que o respeito à diversidade sempre prevaleça“, estava escrito na conta do Instagram do banco.

(Reprodução)

Depois da polêmica, Bruno se pronunciou no microblog “Estou aqui em 2018 respondendo com minhas ações e atitudes por quem já fui também em 2009 e mesmo antes disso. De alguma forma, todos estamos. Não é passando o pano no preconceito, mas sim, passando tudo a limpo, que o mundo vai se tornar um lugar melhor“, escreveu.

Deixe seu comentário!

Andy Santana

CEO do Soda Pop, fotógrafo, inquieto, formado em moda e que ama música. Não exatamente nesta mesma ordem!

Andy Santana has 2133 posts and counting. See all posts by Andy Santana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: