Resenha: O Último Jantar

Com a premissa de ser uma Ágatha Christie do kardecismo, o livro “O Último Jantar” de Vera Lúcia Marinzenck de Carvalho não impressiona pelo suspense em desvendar um assassinato, mas garante bons estudos do Evangelho Segundo o Espiritismo.

A história é contada através de Mary, uma escritora que desencarnada se vê in loco, onde terá que ajudar Lia, uma outra alma desencarnada que desconhece o mundo espiritual e busca a todo custo descobrir quem a assassinou.

Leia Também: Resenha: Sentindo na Própria Pele

Sem grandes emoções, Vera Lúcia conduz o leitor a diálogos rasos e às vezes confusos, sem prender ou causar identificação com os personagens. O desfecho vai se tornando cada vez mais óbvio com o avanço das páginas.

Na parte de ensinos da doutrina espirita, é uma boa opção para quem ainda desconhece como é o mundo espiritual, onde algumas passagens explicam sobre os locais de estudos, como funciona para os desencarnados e principalmente como os atos tem consequências.

Leia Também: Histórias do Passado: Novo romance da autora de Violetas na Janela

Não é um livro dispensável, tão pouco tiraria da lista de livros, é sempre muito bom relembrar ensinamentos e colocá-los em prática e claro, distrair a mente de histórias mais densas e complexas.

Livro: O Último Jantar
Autora: Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho
Editora: Petit
Avaliação: 2/5
Páginas: 217

Deixe seu comentário!

Andy Santana

CEO do Soda Pop, fotógrafo, inquieto, formado em moda e que ama música. Não exatamente nesta mesma ordem!

Andy Santana has 7704 posts and counting. See all posts by Andy Santana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: