#Resenha: Samantha Sweet, executiva do lar

Samantha Sweet. 29 anos. Inglesa. Advogada. Workaholic. Nunca assei um pão na vida. Não sei pregar botão. O que sei é reestruturar um contrato financeiro e economizar 30 milhões de libras para meu cliente.

Esta breve descrição demonstra a vida escrava de Samantha, em que tudo na sua vida é medido em minutos, mais precisamente 6 minutos, é tudo o que ela precisa para: ler um contrato, encontrar uma solução, fazer sexo e jamais pensar em lazer, amigos e família, estes assuntos são proibidos na empresa prestigiosa em que trabalha e sonha ser sócia.

A vida da senhorita Sweet é tão louca, que ela sem querer comete um grave erro que prejudica toda a empresa e consequentemente a sua promissora carreira de advogada. Em um rompante, ela foge de seu ambiente de trabalho transtornada e sem rumo até que se vê diante de uma oportunidade diferente de trabalho, ela se torna uma empregada doméstica de uma família rica.

Leia Também: Resenha: Bridget Jones – Louca Pelo Garoto

Os desafios são inúmeros, desde preparar um jantar chique para convidados até lavar privadas, ambas coisas que ela nunca fez nem em seu próprio apartamento. Sophie Kinsella, a autora, escreve de uma forma tão leve e divertida, que a vida da Samantha daria um ótimo enredo de comédia romântica de filme de sessão da tarde.

A dualidade entre a mulher executiva e a dona do lar, nos obriga a tomar partido e toda hora mudar de opinião, pois a vida da protagonista pode não ser um mar de rosas, mas com os desafios é que nos tornamos pessoas melhores, e é nesta diversidade que está a graça do livro.

Samantha Sweet é um grito na sociedade moderna, onde os lucros são mais importantes que o bem estar, se desconectar é ter qualidade de vida. E neste livro, essa é a lição mais importante, as escolhas que você faz são as que vão te ajudar a ter um futuro melhor.

Leia Também: Resenha: Sem Clima Para o Amor

Kinsella acertou em mais um romance com doses de humor e precisões de dramaticidade, um livro despretensioso em sua essência e cativante em sua escrita. Que não se lembra da Becky Bloom ou mesmo da Bridget Jones lendo Samantha Sweet é porque não viveu a vida destas personagens tão intensamente.

Livro: Samantha Sweet, executiva do lar
Autora: Sophie Kinsella
Editora: Record
Nota: 4/5
Página: 514

Deixe seu comentário!

Andy Santana

CEO do Soda Pop, fotógrafo, inquieto, formado em moda e que ama música. Não exatamente nesta mesma ordem!

Andy Santana has 5906 posts and counting. See all posts by Andy Santana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: