Comitê escondido apresenta peça “Um Memorial para Antígona”, que relaciona tragédia grega à Lei da Anistia

Olhar para a lei que inocentou os torturadores da ditadura civil-militar brasileira pelas lentes da tragédia “Antígona”, de Sófocles, é a proposta de Um Memorial para Antígona, do comitê escondido, que estreia no dia 20 de abril, no TUSP – Teatro da USP, onde segue em cartaz até 14 de maio.

O espetáculo tem direção de Vicente Antunes Ramos, que também assina a dramaturgia ao lado de Miguel Antunes Ramos. E o elenco conta com a participação de Danilo Arrabal, Giovanna Monteiro, Julia Pedreira, Joy Catharina, Rafael Sousa Silva, Sheila Almeida e Victor Rosa.

Leia Também: O musical “A Igreja do Diabo” baseado em conto de Machado de Assis segue temporada no Núcleo Experimental

O mito descrito por Sófocles principia com o encontro entre as irmãs Antígona e Ismene na escuridão da noite. Houve uma guerra em Tebas, e Creonte, o governante da cidade, ordenou que o corpo de Polinices – irmão das duas, que marchou contra o governo – não seja sepultado. “Que sua carne seja levada pelas feras e pelos urubus”, ordena o déspota. Quando as irmãs se encontram, já sabem da proibição de enterrar Polinices. Antígona quer desobedecer às ordens e diz que é seu direito. Já Ismene é contrária e responde que a desobediência não vai adiantar.

Para criar essa discussão, além da tragédia, o grupo parte de documentos históricos sobre a votação no Congresso Nacional, do voto dos senadores e deputados, dos depoimentos de antigos presos políticos e testemunhos de familiares de militantes mortos e desaparecidos no período. E o trabalho propõe ao público uma reflexão sobre os horrores da ditadura: devemos esquecer e seguir em diante, ou lembrar e enterrar os corpos desaparecidos?

Leia Também: Gargalhada Selvagem estreia em abril, no Teatro Porto

Com este trabalho, o comitê escondido dá prosseguimento a sua pesquisa cênica em teatro documentário, iniciada em Terra Tu Pátria (2018). Mas aqui todos os documentos que serviram para compor a dramaturgia recebem um tratamento sonoro diferente.

Serviço:
Um Memorial para Antígona, do comitê escondido
Temporada:
20 de abril a 14 de maio, de quinta a sábado, às 20h, e aos domingos, às 18h
TUSP – Teatro da USP – Rua Maria Antônia, 294, Vila Buarque
Ingressos: R$40,00 (inteira) e R$20,00 (meia-entrada para estudantes, aposentados, professores da rede pública e artistas) Venda online em https://bit.ly/ummemorialparaantigona ou na bilheteria 1 hora antes do espetáculo
Classificação: 14 anos
Duração: 90 minutos
Capacidade: 98 lugares
Acessibilidade: O teatro é acessível para cadeirantes e pessoas com mobilidade reduzida

Deixe seu comentário!

Andy Santana

CEO do Soda Pop, fotógrafo, inquieto, formado em moda e que ama música. Não exatamente nesta mesma ordem!

Andy Santana has 8565 posts and counting. See all posts by Andy Santana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *