Por que é desnecessário o documentário do Shawn Mendes?

Estreou nesta semana na Netflix, o documentário “In Wonder” de Shawn Mendes. Um dos maiores artistas canadense da atualidade, Shawn segue os passos de seu conterrâneo Justin Bieber, lotando estádios, conquistando o topo das paradas e partindo corações de adolescentes enlouquecidas.

Tudo isso, daria um ótimo enredo para mostrar a ascensão do artista no mundo pop e principalmente no mercado norte-americano, mas a ideia não foi exatamente esta para o documentário original.

Leia Também: Beyoncé resguarda seu legado como vanguardista do audiovisual

Costurando diversos trechos da vida do rapaz de 22 anos, o material fica sem uma narrativa clara e objetiva, abordado única e exclusivamente o drama da perda de voz no show de São Paulo, durante a turnê mundial. Se não fosse por isso, o documentário seria inteiramente um registro de vários vídeos soltos e aleatórios.

A participação da Camila Cabello durante a narrativa também se mostra dispensável, por que eles não abordam nada de significativo, apenas o fato dele ter se apaixonado por ela enquanto abria a turnê dos shows do Fifth Harmony, nem a apresentação dos dois com o smash hit “Señorita” teve destaque. Para quem estiver com tempo sobrando e zapeando no menu da Netflix, não perca a oportunidade…

Deixe seu comentário!

Andy Santana

CEO do Soda Pop, fotógrafo, inquieto, formado em moda e que ama música. Não exatamente nesta mesma ordem!

Andy Santana has 7815 posts and counting. See all posts by Andy Santana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: