Vitor Kley fala sobre nova fase roqueira: “É irrotulável a minha carreira”

O Amor Machuca Demais” marca a nova fase da carreira do cantor e compositor Vitor Kley. Totalmente imerso no rock’n’roll, Vitor apresenta sua nova era aos fãs, onde com referência aos seus ídolos da adolescência e hoje amigos pessoais, ele convida para estrelar o clipe que chega cheio de nostalgia e simbologia sobre o amor e principalmente, sobre música.

Vitor Kley X Rock

A relação do porto-alegrense com o rock vem desde pequeno por influência dos pais roqueiros. Queen, Supertramp, Bryan Adams e outros, faziam parte da trilha sonora doméstica, que instigavam as referências musicais do pequeno que nem imaginava que se tornaria um ídolo pop nacional.

Eu lembro o momento em que o rock mudou a minha vida, eu jogando ‘Tony Hawk’ no videogame, aí começou a tocar “t.n.t.” do AC/DC, eu parei o jogo, não queria mais jogar. Eu ligava o videogame porque ali era a forma de ouvir a música. Eu deixava pausado e a música ficava rodando“, contou o músico.

Tão pequeno e contagiado pelos elementos do rock, como por exemplo a guitarra distorcida, ali já iniciava o DNA do que está vindo pela frente, nesta nova fase musical. “‘O Sol’ pode ser considerado um pop/rock, porque tem umas guitarras, bateria, uma explosão no fim da música. Até na ‘Bolha’ a gente deixa isso mais explícito, é uma coisa que me acompanha muito, até para quem já foi no show ao vivo todas as canções que temos, transformamos numa pulsação mais rock“, entrega.

“É irrotulável a minha carreira, assim como a de tantos outros artistas no Brasil, que estão vindo”

É uma parada que eu sempre quis fazer. A nossa caminhada foi evoluindo aos poucos e nos dando liberdade com o passar dos anos.” Após várias incursões musicais, foi natural chegar ao consenso deste novo projeto “O Amor Machuca Demais”, que teve aprovação da gravadora e do produtor musical, já que o rock era tão presente em sua vida.

Ídolo Nacional

Resgatando na memória os ídolos que marcaram a geração, Vitor relembra quais artistas ele se identificava com letras e formas de expressão: “Chorão (Charlie Brown Jr.), marcou muito. Pra gente que vem do surf/skate, o Chorão tinha esta vibe que traduzia o que a gente era. O Kurt [Cobain] do Nirvana, eu li o livro do David Grohl e quando fala do Kurt, no livro, nas palavras, tu consegue imaginar. É um símbolo, saca? Eu ouvia muito estes caras e me identificava, eram pessoas que falavam muito o que tinham dentro deles, seja bom ou seja ruim, eles falavam.

Rock’n geral é pra se ouvir bem alto. Pra se ouvir de qualquer nave” parafraseando Cazuza, um dos seus maiores ídolos, Vitor Kley absorveu bem o conceito explícito na canção “Rock’n Geral” e escuta música alta até hoje, pois quando escuta um rock no volume máximo, ele tem o poder de mudar o seu dia.

O clipe “O Amor Machuca Demais” foi filmado dentro de uma sala de aula para mostrar que os professores são os maiores rockstar do país, Vitor reuniu alguns nomes da cena que o influenciaram musicalmente de alguma maneira, como Di Ferrero (NX Zero), Daniel Weksler (NX Zero), Lucas Silveira (Fresno) e MariMoon — interpretando os professores —, além da banda Hotelo, Carol Biazin, Gabriel Elias, Elana Dara, Day Limns, Gabriel Gonti e Flav.

O conceito do single já começa com a capa, onde o Vitor Kley aparece surrado pelo amor e faz conexão com o moleque tímido na sala de aula que vira o líder de uma banda de rock, conectando com muitos fãs que se descobrem através de bandas do colégio e vencem este período que pode ser sombrio e marcante para um jovem. O vídeo termina de forma aberta, despertando várias interpretações. Era realidade ou ficção?

Como um hitmaker, Vitor Kley está acostumado a lançar sucessos: “O Sol”, “Adrenalizou”, “Morena”, “Pupila”, “A Tal Canção Pra Lua” são alguns de seus sucessos que não pararam de tocar nas rádios do Brasil e de outros países. E ser apontado como o cantor de um único hit não o desmotivou a continuar buscando seu lugar ao sol, e com este novo trabalho que tem um refrão chiclete, ele se consolida com um artista versátil que não deve nada a ninguém.

Se arriscar e tirar as coisas da minha cabeça, é o que me faz viver. Por que se eu estiver aqui, neste mundo, nesta passagem, só para continuar fazendo o que deu certo, eu vou ficar frustrado“. O resultado desta experimentação cultural e musical é a nova fase roqueiro do artista que está dando o pontapé inicial com este single mas que já adiantou ter muito material para lançar em breve. “Uma música desencadeou várias” revelou.

O Amor Machuca…

O amor é maravilhoso, justamente por conta do 8 ou 80, por causa do contraste. Eu fui o cara que sempre falou bem do amor e sempre vou falar, mas ele machuca pra caramba, e eu acho f*** falar sobre isso. Porque eu nunca falei, eu nunca falei sobre isso, e o povo precisa saber de todos os meus lados, eu não quero esconder. Eu quero ser livre, falar sobre coisas que eu nunca falei.” Desta forma, o cantor abre mais um canal de conversa franca com seu público, pois para dar valor à alegria, o ser humano tem que conhecer um pouco da tristeza.

Show dos Famosos

Atualmente o cantor está no ar na competição do “Domingão com Huck” no quadro Show dos Famosos, onde ele já homenageou a roqueira baiana Pitty e astro mundial do pop Justin Bieber. “Eu queimei a língua, comigo mesmo, com o próprio Show dos Famosos”, reflete. “Quando eu fui entrar, eu fiquei com muito receio. É uma coisa muito desafiadora, trabalhosa, que exige muita dedicação e acaba indo para uns lados que eu nunca fui na minha vida.

Exclusivo: Kell Smith fala sobre seu novo EP “Vivendo”

A competição está ajudando o músico a se conhecer mais, principalmente corporalmente, pois nunca tinha dançado no palco, e através das apresentações ele precisou aprender coreografias. Já vocalmente ele está descobrindo caminhos e timbres que pode ser explorado em novas facetas. Este aprendizado refletirá já nos próximos trabalhos, incluindo o lançamento de “O Amor Machuca Demais”, onde ele já aparece mais solto e atuando com mais expressões.

A Turma do Menino Sol

O projeto paralelo infantil “A Turma do Menino Sol” está proporcionando ao compositor conquistar um novo público: as crianças e os pais! Através da animação e letras educativas, Vitor se juntou ao potencial mercado infantil que consome cada vez mais o audiovisual, nas plataformas de streamings.

O último lançamento “Você Longe de Mim” chegou acompanhado com um dueto com a atriz e cantora Jeniffer Nascimento, que ele conheceu nos bastidores do programa Popstar. “Nossa eu preciso fazer alguma coisa com a Jeniffer” ele pensou ao vê-la se apresentar e daí nasceu a parceria que não se resume a este único single, eles pretendem futuramente lançar coisas novas. “A Turma do Menino Sol” despertou ainda mais a vontade de deixar o seu legado como ser humano, deixar os ensinamentos para a futura geração da família Kley.

Leia Também: Jequiti lança a linha Clube da Anittinha para as meninas poderosas

Shows

Dia 13 de novembro acontece o primeiro show inteiro do Vitor Kley, cantando as músicas do seu último álbum “A Bolha” e já apresentando pela primeira vez o novo single “O Amor Machuca Demais”. A turnê por Portugal está agendada e dará continuidade as apresentações que o cantor realiza regularmente no país. Por aqui as datas ainda estão sendo confirmadas e dará sequência na turnê “A Bolha”, interrompida por conta da pandemia.

Deixe seu comentário!

Andy Santana

CEO do Soda Pop, fotógrafo, inquieto, formado em moda e que ama música. Não exatamente nesta mesma ordem!

Andy Santana has 7919 posts and counting. See all posts by Andy Santana

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: